Economia Colaborativa

Economia Colaborativa

Um conceito antigo ganha nova roupagem.


Em tempos de extremo consumismo algumas ideias sustentáveis tomam forma e foi mais ou menos assim que a economia colaborativa começou a ganhar força e segue crescendo em adesão pelo mundo todo.


É sabido que nos primórdios da história humana, a economia na forma de escambo era questão de sobrevivência para muitas comunidades. A troca de produtos era prática comum e como não existia uma moeda para isso, as mercadorias eram avaliadas de acordo com as necessidades e acordos entre os interessados.


Nos tempos atuais, a facilidade de comunicação à distância proporcionada pela internet, aliada à tomada de consciência quanto à necessidade de economia de recursos naturais e financeiros, leva as empresas e os profissionais a buscarem alternativas de compartilhamento na forma de parcerias e permutas.


Grandes empresas buscam reduzir seus custos fixos, terceirizando atividades periféricas, ou buscando parceiros que possam contribuir, até mesmo no longo prazo, prestando serviços complementares que trarão vantagens a ambos, e menos investimento no desenvolvimento de novos processos.


Essas parcerias acabam não somente garantindo a estabilidade das empresas envolvidas, mas também proporcionando novos investimentos e expansões, e assim fomentando a economia como um todo.


As pesquisas mostram que diante das vantagens e benefícios, a economia colaborativa veio mesmo para ficar e está baseada no aspecto social, que busca pela sustentabilidade, no aspecto econômico que evita desperdícios e busca a continuidade das companhias, e no aspecto tecnológico que facilita a aproximação e negociação entre os envolvidos.


São inúmeras as alternativas para adesão à economia compartilhada, seja no ambiente empresarial ou mesmo em nossas rotinas diárias. Podemos compartilhar carros, alimentos, serviços, moradia, informação, tecnologia, dentre outros. 


No âmbito empresarial existe uma atividade que por si só baseia-se fundamentalmente neste conceito, que são os chamados escritórios compartilhados, na forma de escritório virtual e coworking.


Estes ambientes empresariais unem as vantagens do compartilhamento de espaços e redução de custos, com a formação de grandes parcerias e geração de negócios entre seus membros.



Fonte: https://www.infoescola.com/economia/escambo/

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/economia-colaborativa-a-tendencia-que-esta-mudando-o-mercado,49115f4cc443b510VgnVCM1000004c00210aRCRD?origem=tema&codTema=1

https://consumocolaborativo.cc/entendendo-a-economia-colaborativa-e-economia-compartilhada/



Criciúma Business Center

Post por Criciúma Business Center





Travessa Germano Magrin, nº 100 | Ed. Parthenon | Salas 501 e 502
CEP 88802-090 | Centro | Criciúma - SC

(48) 3045-1418

Criciúma Business Center - Todos os Direitos Reservados